Resenha: Assuntos pendentes

quinta-feira, fevereiro 08, 2018 0 Comments A+ a-

“James Van Praagh mudou a vida de inúmeras pessoas, baniu o medo da morte e trouxe a pais desesperados o conforto da presença de seus filhos mortos... É impossível não se emocionar.” –Newsweek

Assuntos Pendentes é o segundo livro de James que leio, e para mim, foi muito mais satisfatório que o primeiro.  Usando sua capacidade de se comunicar com os espíritos, o médium americano nos mostra que eles têm muito a dizer sobre o eu aprenderam do outro lado e que nós que estamos vivos podemos nos beneficiar de suas experiências.


De fato eu fico em cima do muro quando a questão é religião e afins, mas certamente não ignoro um bom livro apenas por não acreditar tanto nessas coisas. Para ser bem sincera com vocês, eu tenho pouco conhecimento sobre o assunto, talvez por isso eu seja meio descrente, a questão é que, mesmo lendo o livro, não mudou minha opinião, eu ainda não acredito, mas considero a ideia.


Não acho que vamos ter mansões quando estivermos no céu (citado em Espíritos entre nós), mas acredito que o céu seja o mesmo lugar que vivemos enquanto estamos vivos, apenas em uma “camada” diferente. Entendem o que quero dizer? São poucos os relatos do livro que achei interessantes, com certeza é emocionante o fato de como James conseguia mudar a vida das pessoas com essa comunicação, porém, eu não via nada além de histórias para enrolar o leitor. Sim, esse era o meu pensamento, eu fico perplexa quando vejo que eu não sentia o que ele realmente queria passar através de seus relatos.


Até pouco a frente do meio do livro e o estava lendo apenas por ler, não dera a devida atenção aos maravilhosos ensinamentos ali fornecidos. Apenas o final do livro que me dei conta do quanto o livro mexerá comigo, parecia que tudo que ele falava todos os relatos, eram uma indireta para mim, como disse á duas pessoas que gosto muito: “Parecia que eu havia contato todos os meus problemas e angustias para um amigo e ele estivesse me dando todas as soluções, me dando uma chacoalhada para cada coisa insignificante que me deixava triste, ele parecia estar dizendo Eu, eu sei que você não está bem, estou aqui para te ajudar, preste atenção na sua vida, você vai conseguir.”.

Caso queira ler a resenha de Espíritos entre nós é só clicar aqui.


Em relação aos espíritos, em minha opinião são apenas uma consequência, você não precisa acreditar para entender as coisas positivas que o livro traz, eles apenas estão ali para complementar o livro, claro, isso é o que eu penso, você não precisa ir a uma sessão, e mesmo você, que tem medo dessas coisas, vai se sentir bem, não é algo surreal, ele faz tudo parecer normal e isso é ótimo. E eu tenho o orgulho de indicar e recomendar esse livro para qualquer um, mesmo que não acredite nessas coisas, assim como eu. James conseguiu criar um livro aconchegante e meramente familiar, ele nos convence que é nosso amigo, e quando nos abrimos a ouvir o que ele tem a dizer, o resultado é maravilhoso.

Uma shinigami que gosta de ler e é apaixonada por joguinhos, sonha em lançar um livro e um dia ir para o Japão. Fallenatica e k-popper, chora quase sempre que escuta Lie.